segunda-feira, 16 de março de 2009

Escolas podem ficar abertas doze horas


A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, mostrou-se receptiva a que as escolas passem a estar abertas 12 horas. O pedido foi apresentado no Encontro Nacional das Associações de Pais, que termina hoje em Mira.

......

.....
E não seria melhor haver também dormitórios em todas as Escolas para fins de semana inclusive?!...sem obrigatoriedade , claro?!!!

11 comentários:

Anónimo disse...

Boa noite, visitei o site ao acaso e não podia deixar de responder a esta mensagem sem querer ferir ninguém mas como pai concordo com esta medida se for aplicada.Eu passo a explicar a razão e da maioria dos Encarregados de Educação deste País, é que na grande maioria das familias portuguesas pai e mãe trabalham e são obrigados a ausentarem-se durante 12 horas ou mais, não sendo possível acompanhar os filhos diáriamente nas actividades escolares ou os seus tempos livres e são obrigados a mandarem os seus filhos para centros de estudo que não são comparticipados por nenhuma instituição, não faço ideia do horário de trabalho que um professor possa ter hoje em dia, mas um trabalhador normal tem pelo menos 8 horas de trabalho diário, retirando o tempo gasto em viagens e almoço concerteza serão 12 horas ou mais. Visto assim talvez os professores devam trabalhar também as 8 horas diárias e a escola poderá trabalhar as 12 horas alternando com os horários dos professores. Respeito os professores e que em alguns casos possam estar a ser injustiçados, serem agredidos na sala de aula é uma vergonha para todos os encarregados de educação e todos os alunos, mas tenho 2 filhos e desde o inicio deste ano lectivo perderam dias inteiros de aulas por greves, ora umas vezes dos professores outras dos funcionários, pensem que esta guerrinha entre ministra e professores só está a prejudicar os alunos pois nem as escolas tem a atitude correcta de avisarem os alunos que no dia seguinte não vão ter aulas, e no dia das greves os alunos nem sabem para onde ir.Os professores esquecem que somos todos nós contribuíntes que estamos a pagar os seus salários e como pai estou preocupado com o futuro escolar dos meus filhos.Concerteza que os pais não vão querer que os filhos durmam nas escolas nem que passem os fins de semana nas escolas, querem apenas soluções que possam assegurar a educação dos seus filhos.
Passo a sua expressão e que chamou a minha atenção:

.....E não seria melhor haver também dormitórios em todas as Escolas para fins de semana inclusive?!...sem obrigatoriedade , claro?!!!

Ninguem quer isso!

DOCETERE disse...

Professores também são PAIS...E ENTENDEM...EU NÃO ENTENDO SÃO AS PROMESSAS DA SENHORA MINISTRA, ATENDENDO A QUE DIZEM NÃO HAVER VERBAS.
HÁ PROFESSORES QUE, ALGUNS DIAS PASSAM MAIS DE 12 HORAS NA ESCOLA...EM DIAS DE REUNIÕES SEM QQ COMPENSAÇÃO E ALÉM DAS 35 HORAS SEMANAIS HÁ UMA SÉRIE DE TRABALHOS A PREPARAR E CORRIGIR...E TAMBÉM OS pROFESORES PAGAM IMPOSTOS PARA AJUDAR A PAGAR OUTROS SALÁRIOS DE PROFISSÕES DIFERENTES... E ACREDITO MESMO QUE A MAIORIA DOS PAIS NÃO QUEREM OS FILHOS A DORMIR NA ESCOLA MAS SE PERGUNTAR A ALGUNS NÃO TENHO A MENOR DÚVIDA!

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, SENHOR OU SENHORA ANÓNIMO/A

Anónimo disse...

Agradeço a disponibilidade da senhora DOCETERE a responder-me ao comentário que eu fiz ontem.
Quem trabalha sabe que pode ter que sujeitar-se a trabalhar mais horas do que o previsto sem receberem horas extra, é uma realidade, eu trabalho para uma empresa privada e tenho que sujeitar-me a isso, desde que eu cumpra o trabalho que é exigido.É falta de respeito para todos os pais que pagam os salários dos professores, pensarem que os pais querem os filhos na escola a dormir, porque nós pais já estamos demasiado tempo sem os nossos filhos.
Nós somos os mesmos país que não temos as regalias (saúde, reforma, salários )que os professores e outros funcionários do estado tém que são pagos por nós e nunca estão satisfeitos. Neste pais é assim mas noutros não é assim.Concordo com mudanças porque fazem parte de um pais em desenvolvimento e que para quem não quer trabalhar há muitas pessoas que querem e muitos professores ávidos por trabalho que não são colocados. Menos "FOLGAS" e mais "TRABALHO"!
Eu penso assim e na generalidade também pensam como eu.A imagem neste pais dos professores está muito mal.
Obrigado e também quero deixar um elogio á Senhora DOCETERE pelas suas mensagens, poesias que estão muito bem elaboradas e acompanhadas com imagens muito bonitas.

DOCETERE disse...

Obrigada, continuo , no entanto a não concordar com "É falta de respeito para todos os pais que pagam os salários dos professores..."...não é de meu conhecimento que os pais paguem os vencimentos dos professores...sou mãe de dois rapazes que já passaram a escolaridade minima obrigatória e jamais paguei a algum professor. Os impostos que me descontam e de imediato no vencimento, sendo eu funcionária pública...sabendo que não se destinam ao pagamento de vencimentos pelo menos só de professores, senão os professores descontam para os de quem?...de muitas outras profissões, certamente ou para compensar aos que "fogem" a esse controle??? Seria conversa ao vivo interessante sobre este assunto . Pelas últimas publicações a imagem dos professores que a maioria são "seres humanos! como outros trabalhadores não está assim tão mal...só está pelos olhos de quem assim quer ver, porque se assim fosse eu não mandaria familiares para a Escola... mas deixo em anexo um video que me chegou hoje.De novo, obrigada e os meus respeitosos cumprimentos.
...

http://www.youtube.com/watch?v=Om3oj6XrXko

Gracilene Pinto disse...

Ao comentário do anônimo, eu gostaria de lembrar que os professores talvez trabalhem até mais de 8 horas por dia, pois as funções do professor não se resumem às tarefas de sala de aula, que é aliás onde provavelmente dispendam eles até menos tempo, pois para poder dar aulas, o professor necessita estudar para poder prepara-las, e depois de ministra-las, ainda têm os mestres que preparar os exames de avaliação, os quais após sua aplicação, têm que ser conrrigidos em casa. Ou seja, a carga laboral do professor pode ser até maior do que de outros profissionais que, uma vez terminado o expediente vão para casa descansar, enquanto que os educadores quando chegam em casa necessitam realizar as tarefas relativas a sua profissão que não podem ser realizadas em sala de aula. Por outro lado, o tipo de instituição educacional proposto pode até ser confortável para os pais, por deixa-los com tempo livre e tranquilos em saber que não precisam preocupar-se com os filhos, que estão sendo cuidados pelo corpo docente da escola. É provável também que, com a manutenção das crianças em regime de semi-internato, consegamos contruir um país de pessoas muito cultas. Mas, será que formaremos uma nação de cidadãos equilibrados e felizes mantendo os nossos jovens fechados em instituições escolares e longe da família? Da mesma forma que o calor do ninho é primordial para que o passarinho cresça saudável e com belas plumas, o calor do lar e o carinho, a presença dos pais, é essencial para a formação de adultos prósperos e harmonizados, que só assim se pode desfrutar da satisfação de uma vida venturosa.
Gracilene Pinto

TERE disse...

Obrigada Gracilene Pinto por seu comentário sobre educação.
Abraço.

Tentilhão disse...

Caro Anónimo!

Seu comentário contém afirmações um pouco difusas.
Cito: "Quem trabalha sabe que pode ter que sujeitar-se a trabalhar mais horas do que o previsto sem receberem horas extra , eu trabalho para uma empresa privada e tenho que sujeitar-me a isso, desde que eu cumpra o trabalho que é exigido. É falta de respeito para todos os pais que pagam os salários dos professores".
I) Se tal acontece consigo é certamente porque o Sr não ousa opor-se a tal injustiça.

II)Interessante combinação essa do Sr. ter de sujeitar-se a trabalhar sem renumeração "desde que cumpra o trabalho que é exigido".

III) relativo aos salários dos professores creio que seria mais lógico que que visse esses custos como o pagamento da própria escolaridade obtida ou escolaridade dos filhos.

Um que não é professor!

TERE disse...

Obrigada Tentilhão pela sua opinião.

Abraço

abandonado disse...

É uma medida da qual discordo completamente.Representa a infeliz realidade que se vive hoje em Portugal , com a completa demissão por parte dos pais da sua missão primordial: educar.O fazer das escolas depositos de criancinhas para os professores cumprirem a nissão dos progenitores é uma imbecilidade e revela a pouca vergonha em que se transformou em falta de respeito pela nobre missão do professor: ensinar.Que sejam Associações de Pais a sugerir esta estupidez pedagogica diz tudo do engagamento destes novos pais: apenas o são para procriar, cuidam pouco dos seus filhos e limitam-se a comprar afectos das criancinhas que se vão comportando como alarves sem o minimo de educação e valores. Se não têm tempo entreguem-nos aos avós que ainda se lembram da nobre missão que é educar e criar um filho.
Pobre geração que tais pais tem

Tentilhão disse...

Confusão!!!!!

Primeiro Anónimo e agora Abandonado: uma ou duas pessoas por detrás destes nicks?

Em qualquer dos casos gostaria que Abandonado precisasse qual a medida de que discorda.

Tentilhão

Tentilhão disse...

Há que concluir a discussão parou sem haver esclarecimento!

"Chegaram e disseram, tiraram os chapeus e foram-se!"