quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Recordação primaveril


Nem podeis calcular
as saudades que sinto ainda
do floril da Primavera,
em policromia variada:
com cheiros misturados
como eu me extasiava
ali na minha lombada.
...
Eram arcãs e carquejas
urzes, estevas sem fim
amarelo e branco das giestas
em surgir espontâneo
naqueles montes com secura
mas em que tudo rebentava
na altura adequada
...

Campainhas...estoirotes
lilas, violetas ... flores mil,
umas nos lameiros
outras à beira dos caminhos
algumas junto dos ribeiros,
em paisagem pitoresca
montes secos sem floresta.
.
Tere

2 comentários:

Anónimo disse...

Puxa, amiga, cheguei a sentir o cheiro das ervas com o olfato da alma... ehehe
Beijos
Gracilene Pinto

DOCETERE disse...

Obrigada Gracilene... e não viveste por cá...só ouviste contar vezes sem fim....né?

Bjs

Tere