quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Espelho


(Não são os ambientes que nos transformam e sim nós que transformamos os ambientes.
.
"Os tristes acham que o vento geme. Os alegres e cheios de espírito afirmam que ele canta".
.
O mundo é como um espelho, devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos.
A maneira como você encara a vida faz toda a diferença!)

7 comentários:

Victor Gil disse...

Olá TERE.
Acho que estou a visitar o teu espaço pela primeira vez. Agradeço a tua visita ao meu lugar.
Eu vou andar por aí à espreita rsrsrs.... para ver como se transforma o ambiente.
Se me permites, queria ser teu amigo. Por isso um beijo de amizade.
Victor Gil

Lu disse...

Bueno* gostei [...] Os alegres e cheios de espírito afirmam que ele canta"

TERE disse...

Obrigada Victor Gil...vai espreitando à vontade e quem negaria uma nova amizade?!

Bks
Tere

TERE disse...

Gemendo, cantando o que importa é que nos vendavais não faça estragos!

Bjs

Tere

JOE ANT disse...

Eu deixo aroma até nos meus espinhos,
ao longe, o vento vai falando de mim.

Cecília Meireles

***
O vento me empurra
Para onde eu não quero ir
A maioria das vezes
Para traz
Que de tão forte
Para diante não sou capaz
Distanciamento eterno
Que em nada me aprz

TERE disse...

Vento fustigante, provocante de grandes vendavais...vento suave com brisa ao de leve...ele empurra sim...acontece o mesmo a mim!!!

Obrigada pela visita e comentário, amigo Joe

Gracilene Pinto disse...

VOZES DO VENTO

É certo que o vento pode
provocar os vendavais,
ou como suave brisa
ter a voz doce dos corais.
Pois cá, em meu lindo ninho,
na esquina de um quinto andar,
onde até os passarinhos
fazem festa a gorjear,
o vento também festeja
quando se põe a cantar
nos dias ensolarados
como só no Maranhão há.
E nas noites de invernada,
quando chora até o céu,
geme o vento nas vidraças,
como mendigos ao léu.
Porém, nas noites de estio,
banhadas só de luar,
o vento chora sorrindo
e já dispara a cantar.
É um canto seresteiro
acalentador de paixão,
que fala do amor primeiro
e aperta o coração.
Gracilene Pinto