quarta-feira, 10 de novembro de 2010

De Natália Correia

"Do amor nada mais me resta que um Outubro
E quanto mais amada mais desisto:
Quando mais tu me despes mais me cubro
E quando mais me escondo mais me avisto"

2 comentários:

Mai disse...

Em outubro hibernamos outonos e no amor, mergulhamos o mais fundo oceano.
Para ambos é preciso ser grande em doação, rendição e coragem para um e outro.

beijos, amiga.

TERE disse...

Obrigada, Mai por um comentário quão profundo...pelas tuas visitas, pela tua amizade.
Votos de dia feliz e "baci mille"