segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Quadra dum soneto

...............................................
"Sobre carris de ferro aparelhados, que a Natureza
Deu e o engenho transformou, cortando paisagens,
Lá ia e vinha, o comboio, (máquina a vapor e carruagens!),
Penosamente arrastando o Tempo, mas com nobreza!...!
....
Autor: JAFins

6 comentários:

Mai disse...

Gostei bastante; e se é apenas uma quadra, fico a imaginar os demais versos.

grande abraço, Mité.

Joalex disse...

Este texto trouxe-me à lembrança o comboio da minha terra, que cortava paisagens, trespassava montes, sulcava rios... agora desapareceu... que saudades do seu resfolegar cansado, do seu silvo inquietante!
Mas vai voltar... vai continuar a história interrompida!
Boa noite!

TERE disse...

Joalex..deve tratar-se do mesmo comboio...o da linha do Tua ou não??
Boa noite...
Logo que possa colocarei o soneto completo, amiga Mai.

TERE disse...

Joalex, fui verificar e afinal trata-se de comboios em locais diferentes mas com a mesma problemática..não se pode deixar assim...Têm de voltar...num País do tamanho do nosso são mais necessários do que algumas obras públicas sem nexo e em que se gasta muito ..muito mais!!!

TERE disse...

Mai..amiga...outro dos anjos protectores de Mité ...já dias que não via nada no Inspirar e nem sinal por aqui...votos que não tivesse sido por problemas de saúde.

Desejo que tudo esteja bem~

Carinhosamente

MT

João Paulo disse...

Obrtigado a todos pela apreciação que fizeram à quadra, que é de facto de um soneto!!...
Respeitosamente